Saiba tudo sobre a Caneta da Saúde

A  picadinha já não é o “fim da picada”. Graças à ciência, as pesadas seringas de vidro, difíceis de transportar, e que precisavam ser fervidas, já se aposentaram, dando lugar a tratamentos cada vez mais práticos, portáteis, fáceis de aplicar e com pouca margem de erro na dose de insulina3.  

É nessa pegada que o Sistema Único de Saúde (SUS) começou a distribuir gratuitamente em 2018 a “Caneta da Saúde”. Após a recente pactuação na CIT (Comissão Intergestores Tripartite), composta pelo CONASEMS (Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde), CONASS (Conselho de Secretários de Saúde) e Ministério da Saúde, foi publicada nota técnica pelo Ministério da Saúde ampliando a disponibilização das canetas preenchidas de insulina para pessoas com diabetes tipo 1 e tipo 2, crianças e jovens até 19 anos e adultos a partir de 50 anos.

Diferente das seringas, que precisam de frascos e ampolas, a "Caneta da Saúde" já vem preenchida com insulina, podendo ser manuseada facilmente e transportada com facilidade. Ah, elas também são mais discretas!  Mas preste atenção: apenas um profissional de saúde poderá prescrever a caneta e desenhar o mapa para que você chegue até ela de forma gratuita pelo SUS (4). 

Então a dica é: consulte seu médico, descubra se essa tecnologia é a ideal para você e escreva uma nova história. 

Mais de 13 milhões de brasileiros vivem com diabetes (1). São também milhões de famílias que participam de uma rotina de controle diário de insulina.​

A insulina é um hormônio que regula o nível de glicose no sangue. Usada como fonte de energia para todas as atividades do organismo, a insulina faz com que os alimentos tenham um destino certo, controlando a glicemia, auxiliando no metabolismo e melhorando a rotina das pessoas portadoras.​


A ciência já acumula um século de inovações e soluções. Desde que, em 1921, uma equipe de pesquisadores canadenses descobriu como usar a molécula de insulina para baixar o nível de açúcar no sangue, o tratamento vem ficando mais fácil e melhor.​

Foi o que aconteceu com os aplicadores de insulina. Antes restritos às seringas, atualmente são encontrados também no formato de caneta. São dispositivos que ajudam na correta e precisa aplicação da dosagem, oferecendo muito mais conforto e segurança.

Comparadas aos frascos e seringas, as canetas são mais fáceis de usar e garantem a dosagem correta prescrita.

Esses fatores diminuem a chance de erros, o que é bastante comum no cotidiano de pessoas dependentes de insulina.

Além dessas comodidades, a caneta é mais fácil de ser transportada (12).

Por ter a aplicação mais fácil, a caneta diminui inclusive o medo de agulhas, ajudando cuidadores, familiares e até a própria pessoa com diabetes a cuidar melhor de sua saúde. 

  • É distribuída gratuitamente pelo SUS para pessoas com diabetes tipo 1 e tipo 2. 
  • É mais prática, portátil, discreta e pode ser aplicada fora de casa.
  • É mais segura. Já vem preenchida e com dosador para dispensar a dose correta de insulina.
  • Economiza tempo, pois não há necessidade de preparo do frasco de insulina.
  • Melhora a adesão ao tratamento, diminuindo picos de glicemia.

A Caneta da Saúde é disponibilizada de forma gratuita pelo SUS, mediante prescrição médica.

É preciso ressaltar, no entanto, que somente o médico é o responsável pela recomendação da caneta.

Sem o pedido médico, não é possível inscrever-se no programa de controle fornecido pelo SUS.

Portanto, procure um médico e saiba se essa tecnologia é a ideal para você.

Somente pessoas com diabetes tipo 1 e tipo 2, de 50 anos ou mais, e crianças ou adolescentes até 19 anos, com prescrição médica, podem solicitar a caneta. 

Uma vez prescrita, a caneta fará parte de sua rotina, ajudando a evitar incidentes, como picos de glicose. Além de melhorar sua qualidade de vida.

  • A insulina deve ser aplicada no tecido subcutâneo, ou seja, na camada de gordura que está abaixo da pele, antes do músculo. Braços, coxas, abdômen e região glútea são os locais ideais para a aplicação. Para saber em que local exato dessas partes do corpo aplicar, consulte um profissional de saúde e sempre leia a bula da medicação (2).
  • É muito importante fazer o rodízio dos locais do corpo em que você aplica a insulina. A ideia é prevenir nódulos e alterações locais decorrentes de aplicações repetidas.
  • Evite aplicar sobre cicatrizes.
  • Não se esqueça de checar o fluxo de insulina antes de aplicar a dose.
  • Sempre observe o vencimento dos medicamentos.
  • Não mude de produto sem indicação médica.
    Não se esqueça do autocuidado: monitoramento da glicose, cuidado com a alimentação e exercícios regulares com a supervisão de um profissional. 

É preciso cuidar da sua caneta com carinho, seguindo à risca as orientações médicas e instruções de utilização.

Aqui vão algumas dicas:

  • Sea caneta não está sendo utilizada, ela deve ser conservada na geladeira. Não deve ser congelada e nem ficar muito próxima do congelador.
  • Se você já está utilizando a caneta, pode ser carregada por até 4 semanas, devendo ser mantida à temperatura ambiente (entre 15 e 30°C).
  • Após aberta, a validade da caneta é de 4 semanas. Conserve longe de calor excessivo e da luz solar.
  • Atenção: Medicamentos não devem ser descartados pelo encanamento ou no lixo doméstico